About anarelvas

This author has not yet filled in any details.
So far anarelvas has created 242 entries.

8 dicas para melhorar a sua pesquisa no Google

Tenho alguma dificuldade em lembrar-me como fazia quando precisava de informação antes de haver internet em particular o Google. Recorria a livros com certeza mas era suficiente?

Hoje em dia sempre que quero saber mais sobre alguma coisa vou ao Google, como todos nós. Repito com frequência a frase “o Google é meu amigo”. 🙂

Embora pesquisar no Google seja uma atividade aparentemente simples nem toda a gente consegue encontrar o que precisa ou limitam-se a resultados superficiais porque não domina a “arte” da pesquisa que passa (1) não só por saber tirar partido das funcionalidades do Google mas também (2) saber escolher as palavras certas para fazer a pesquisa. A qualidade das respostas depende sempre da qualidade das perguntas.

Hoje quero partilhar 8 funcionalidades do Google que nos ajudam no dia-a-dia. Talvez algumas já conheça e outras não. Para aprofundar aconselho esta página.

1. O Google é uma máquina de calcular

pesquisa-google (5)

2. O Google converte valores em unidades diferentes

Se estiver a usar unidades em inglês, em vez da palavra “em” use “to” como “3.5 cm to inches”.

pesquisa-google (4)

3. O Google converte o valor de uma […]

Como conseguir manter o foco no trabalho e desligar em casa?

Hoje respondo a mais uma das perguntas que me fizeram para o blog no âmbito da iniciativa ASKME (deixe-me perguntas para inspirar artigos no blog).

Como conseguir manter o foco no trabalho quando se está no trabalho? Estar no trabalho e pensar apenas no trabalho e estar com a família e usufruir/pensar apenas na família. Isto é, que estratégias utilizar para pelo menos minorar essa “mistura” de ocupação mental.

A nossa mente é um sistema fascinante e por mais que tenhamos a impressão que a controlamos, ela tem vida própria. Para mim foi uma revelação quando comecei a praticar meditação e a ter a perceção de que os meus pensamentos ocorrem sem a minha vontade e que sossegar a vozinha na minha cabeça nem sempre é fácil.

Proponho duas estratégias muito práticas para lidar com isso mas primeiro é importante descobrirmos…

Qual é a intenção?

Voltando à questão que me colocaram. A nossa mente gera pensamentos sobre coisas que não são trabalho quando estamos no trabalho e trabalho quando estamos por exemplo nos nossos tempos livres.

Vamos assumir que quando a nossa mente nos gera estes pensamentos tem uma intenção positiva. Qual será essa intenção?

É útil perceber qual é a intenção, a motivação […]

Uma competência “fofinha” que só os melhores têm e que se treina

Venho de um meio onde sempre se valorizou a inteligência lógica. Onde a inteligência emocional é considerada uma coisa meio “esotérica”, uma competência “fofinha” (soft-skills…).

Só que, a partir do momento em que alguém domina as competências técnicas desenvolvidas com a sua inteligência lógica, o que faz realmente diferença nos resultados (e até felicidade…outra coisa meia “esotérica”) é a inteligência emocional.

Hoje vou falar um pouco sobre o que é a inteligência emocional e deixar-lhe um convite para a treinar.

O que é a Inteligência Emocional?

Uma das definições de inteligência emocional é a capacidade para monitorizar as nossas emoções e as dos outros, compreendê-las e usar esta informação para nos guiar os pensamentos e ações.

A boa notícia, segundo Daniel Goleman, é que a inteligência emocional não é inata e pode ser aprendida, ou seja, podemos escolher aprender e praticá-la.

Mas na prática, como é que a inteligência emocional se manifesta?

Segundo Daniel Goleman através de:

  1. Autoconsciência: conhecimento dos nossos estados internos, preferências, recursos e intuições;
  2. Autogestão: com base no conhecimento que a autoconsciência nos traz, somos capazes de gerir os estados internos, impulsos e recursos;
  3. Motivação: tendências emocionais que nos guiam ou facilitam atingir objetivos;
  4. Empatia: termos consciência das emoções, necessidades e receios dos […]

6 coisas que pode fazer para não ter tempo

Algumas pessoas têm tempo e estão satisfeitas com o uso do seu tempo…pessoas estranhas!

Hoje não vou falar sobre essas pessoas mas dar-lhe dicas sobre o que pode fazer para não ter tempo. Se seguir algumas destas indicações, garanto-lhe que realizará este objetivo sem grande esforço.

Já fazia falta um artigo sobre este tema. 🙂

1. Mantenha a ilusão de que está a fazer muitas coisas ao mesmo tempo

Este é o segredo para não ter tempo! Se há uma área onde quer investir já para ter mais resultados é esta!

Trabalhe em modo multitasking, veja o email, atenda o telefone, escreva um relatório, volte ao email para ver o novo email que acabou de chegar, responda ao colega. Faça, faça, faça!

Se alguém lhe disser que assim está a perder tempo, faça-lhes má cara, diga-lhes que é esse o seu objetivo e que é impossível trabalhar de outra maneira, que a sua função não permite, que tem muitas responsabilidades e precisa de estar SEMPRE contactável.

Evite criar períodos de foco ao longo do dia para realizar tarefas que requerem concentração. Mantenha as notificações todas a apitar.

Comece o dia a ver o email e a dar resposta. Se passar a manhã perdido no email, melhor!

Estas estratégias vão ajudar […]

Vive a fazer chamadas no telemóvel? Duas Apps grátis para simplificar a sua vida e ser profissional

Se já me acompanha há algum tempo já percebeu que adoro apps e ferramentas informáticas que facilitem a nossa vida. Recentemente descobri a app Callist muito útil para quem precisa de fazer muitas chamadas no telemóvel. Vou mostrar-lhe para que serve e outra também muito útil de que já falei no passado.

Ambas são grátis e para androide.

App Callist para se lembrar de realizar as chamadas que precisa de fazer

Cenário 1: alguém lhe liga, não ouve a chamada e não dá pela notificação. Os dias passam e não retornou uma chamada que era importante. A Callist cria um popup visível da chamada para que dê por ela e se lembre de ligar de volta.

Cenário 2: alguém lhe liga, não ouve a chamada ou não pode atender. Quer voltar a ligar mais tarde mas entretanto surgem outras coisas e esquece-se. Aquela chamada está perdida no meio de várias chamadas com números que não conhece. O popup visível que a Callist cria permite-lhe criar um lembrete para ligar mais tarde para esse número. Pode também configurar a app para que um lembrete automático seja criado para todas as chamadas que não atende.

Cenário 3: liga a alguém que não atende e quer lembrar-se […]

Como andamos a desperdiçar dinheiro com a mania que poupamos

Cada vez mais estou convencida que muita gente é cega para os custos invisíveis associados a muitas opções da nossa vida. Deixe-me dar-lhe um exemplo muito simples relacionado com compras e deslocações e dar-lhe uma fórmula para que possa intuitivamente avaliar as suas opções.

Eu moro em Lisboa e estava há dias a considerar ir a Cascais comprar uma coisa que precisava e só vendem numa loja lá. Considerei ir à loja para evitar o custo de envio de 4.1€ comprando online. O custo de envio era quase metade da coisa que queria comprar.

Parece um desperdício, certo?

Quanto me custaria ir à loja de carro? É uma conta muito fácil de fazer.

O meu carro gasta cerca de 6 litros/100km e usa gasolina 95.

A distância a percorrer, segundo o Google Maps, seria 34.4 km, ou seja um total de 68.8 km.

Vou assumir o preço da gasolina 1.539€/litro.

Quanto gasto em gasolina?

eq1

 

Ou seja,

eq2

Só o custo da gasolina e portagens é superior ao custo da entrega.

Não estou a considerar aqui o custo associado ao meu tempo que seria mais de uma hora e meia nem o desgaste do carro.

Quando […]

6 dicas práticas para lidar com quem não nos ouve (e ouvir melhor)

Em situações de conflito ou discussão de ideias, por vezes temos a sensação de que não estamos a ser ouvidos. Esta é uma das maiores dificuldades nestas situações: se não somos ouvidos, como podemos comunicar a nossa posição?

E quando sentimos que não estamos a ser ouvidos também tendemos a não ouvir o outro.

Saber ouvir cria rapport/empatia o que facilita a relação e consequentemente a capacidade de juntos chegarmos a uma solução (agrada-lhe ajudar ou fazer concessões a alguém de quem não gosta ou que o está a irritar?).

Como não pode amarrar a outra pessoa e obriga-la a ouvi-lo, pode pelo menos contribuir para que o outro sinta que está a ser ouvido na esperança que fique também mais disposto a ouvir.

Aqui há duas coisas que pode fazer:

  1. Ouvir!
  2. Como pode estar a ouvir e a outra pessoa não ter essa perceção, faça perceber que está realmente a ouvir.

De seguida deixo-lhe algumas dicas muito práticas nesse sentido.

  1. Mostre que ouviu e clarifique mal entendidos dizendo por exemplo “deixa-me ver se percebi, o que estou a perceber é que…” e repita o que outro disse. Assim, caso não tenha interpretado bem, há a oportunidade de o outro o corrigir. Passando a […]

Como criar confiança nos seus clientes

Se as pessoas gostam de si elas o escutarão mas se confiarem em si farão negócios consigo.

Zig Ziglar

Quem trabalha na área comercial reconhece a importância de criar uma relação de confiança com os seus clientes. Para isso é essencial entregar um produto/serviço que traga valor mas também ser capaz de potenciar uma relação de empatia com os clientes.

Todos temos noção de que é mais fácil criar empatia, confiança e influenciar algumas pessoas do que outras. Pode até haver clientes que evita ou procrastina o contacto.

Muitas vezes essa dificuldade está relacionada com diferenças de personalidade, atitude e das coisas que valorizamos e que se refletem no modo como se abordam os clientes e que tipo de argumentos usamos.

As nossas preferências individuais levam-nos a agir e comunicar de um determinado modo e por vezes esse modo pode ser contraproducente.

Há dois tipos de informação que nos podem ajudar neste caminho:

  1. Reconhecer as nossas preferências comportamentais e de comunicação, quais os nossos pontos fortes e como é que algumas dessas preferências, em determinados contextos nos limitam
  2. Reconhecer as preferências comportamentais dos nossos interlocutores e adaptarmos os nossos comportamentos e estratégias de comunicação de modo a “falarmos” a […]

O que faço nos dias de “loucos”

Ajudar pessoas a aumentar a sua energia e resiliência é uma das áreas que acho mais gratificantes já que este é um dos grandes desafios hoje em dia e pode fazer toda a diferença nos resultados das empresas e nível de bem-estar e felicidade individual. Todos ganham!

Vou falando com pessoas que têm uma vida muito cheia e passam o dia em estado de ansiedade e stress. Alguns já nem dão por isso e assumem-no como estado normal. Não é. Não devia ser.

Às vezes alguns clientes perguntam-me como é que EU lido com os dias de “loucos”. Partilho várias estratégias nas minhas formações ou quando trabalho individualmente com clientes mas pensando bem, quais são as que realmente fazem diferença na minha vida?

Hoje vou falar de mim e vou partilhar a minha lista de não-negociáveis.

Preparar-me e antecipar

Tendo a não deixar tarefas para a última da hora sempre que possível para poder acomodar imprevistos…porque se há algo que é previsível são os imprevistos.

Por exemplo, evito preparar os materiais de uma formação na véspera ou no dia. Para isso, para mim é essencial planear a minha semana avaliando o tempo que as tarefas consomem e reservando tempo para isso na agenda. Esta visão […]

Como alterar os “rótulos” que nos são colocados ao longo do percurso profissional numa empresa de forma a inverter a imagem negativa que os outros têm de nós

Respondendo a uma das perguntas que me fizeram para o blog no âmbito da iniciativa ASKME (deixe-me perguntas para inspirar artigos no blog), vou hoje dar algumas dicas para ajudar a alterar os “rótulos” que nos são colocados ao longo do percurso profissional numa empresa de forma a inverter a imagem negativa que os outros têm de nós.

São necessários 20 anos para construir uma reputação e apenas cinco minutos para destruí-la.

Warren Buffett

Quais são os rótulos? Alucinações ou reais?

Em primeiro lugar, é importante perceber que “rótulos” são esses e distinguir os reais das alucinações.

Uma coisa é aquilo que achamos que os outros pensam de nós (que pode tanto ser verdade como também pode ser uma alucinação) e outra coisa é a impressão que os outros têm e que até já nos deram feedback.

Vou dar-lhe um exemplo de alucinação: uma pessoa acha que o chefe não o acha competente ou de confiança já que o chefe não lhe dá projetos de maior responsabilidade ou não partilha informação. O facto de o chefe não lhe dar projetos de maior responsabilidade ou não partilhar informação não significa necessariamente que não o ache competente ou de confiança. Tantas outras […]