Se pensa seriamente (mas só se for seriamente) em melhorar alguma área da sua vida, deixo-lhe a sugestão de começar a escrever um diário.

Muitos de nós quando pensam num diário, pensam no registo do que nos acontece no dia-a-dia mas não é necessariamente isso. Muitos escritores, cientistas, artistas e outros profissionais mantêm um diário como para os ajudar a refletir sobre o modo como estão/se sentem no mundo, explorar ideias e focarem-se nos resultados que pretendem.

Pensar escrevendo tem a capacidade quase mágica de clarificar e organizar os nossos pensamentos. A escrita remove blocos mentais, entretendo o hemisfério esquerdo e libertando o direito para nos conhecermos melhor, ao mundo à nossa volta e vermos caminhos ainda não explorados.

Alguns estudos sobre este tema sugerem que quem mantém um diário lida melhor com situações de stress, sente menos ansiedade, aumenta o foco e capacidades cognitivas.

Pode aproveitar o início do ano para criar a rotina de algo muito simples como por exemplo escrever no início do dia as coisas que quer realizar, ou como se quer sentir, ou focar.

Resumindo: quais são as suas intenções para esse dia que pode ser qualquer coisa tão simples como sentir-se tranquilo, energético ou realizar algo específico.

Quando trazemos para o consciente essas intenções torna-se mais simples estarmos atentos às oportunidades para as concretizar ou focarmo-nos nessas prioridades. E ao escrevermos estamos a passar uma mensagem a nós mesmo que essas intenções são mesmo importantes: até tirámos alguns minutos para escrever! Pode também, no fim do dia, olhar para trás e avaliar como correu o seu dia, o que podia ter feito diferente ou o que aprendeu.

Ajuda bastante criar a rotina de o fazer, oferecendo-se 5 ou 10 minutos, preferencialmente na mesma altura do dia.

Pode usar o diário para fazer outras coisas como listas (lista das coisas pelas quais está grato, objetivos, coisas que gostava de fazer, livros a ler, ideias, etc. ), registar pensamentos e observações, frases inspiradoras, coisas que aprende, ou o progresso nos caminhos que está a percorrer bem como os obstáculos que encontra e como pode lidar com eles. Pode também registar (tipo diário) as suas viagens, livros que leu, filmes que viu. Vai achar essa informação interessante no futuro. Lembre-se que não tem que se restringir à escrita, podendo também fazer desenhos e esquemas.

Não escreva para ninguém ler, escreva para si e seja autêntico.

Muita gente sugere que se escreva à mão. Eu pessoalmente gosto de escrever à mão mas reconheço o benefício de ter um diário digital.

Escolha um caderno que seja agradável ao toque e que o estimule à escrita. Se quiser ser sistemático na escrita todos os dias, pode até comprar uma agenda, com uma página por dia e escrever aí.

Se optar por uma solução digital, aconselho o journey (embora existam muitas outras) que sincroniza os conteúdos no telemóvel e computador. Pode, além de texto, adicionar fotografias. Pode também por exemplo tirar fotografias ao que escreve no caderno e guardar na solução digital.

Reflita um pouco sobre como é que ter um diário o pode ajudar.

Eu já decidi que vou ser mais sistemática no criação destas reflexões…e nem vou esperar pelo início do ano. 🙂