Pessoalmente sei que, pelo histórico familiar, tenho alguma probabilidade vir a ter doenças que podem causar sofrimento, tirar a autonomia e a vida.

Encaro isso como um jogo. Existe um conjunto de cartas na mesa que aumentam a probabilidade de isso acontecer? Muito bem! Já que é um jogo que estou a jogar (e que não me perguntaram se quero), eu quero também poder jogar as minhas cartas, assumindo comportamentos que podem reduzir a probabilidade dessas doenças.

A prática de exercício físico é uma dessas cartas.

Abaixo partilho um documentário feito na Austrália sobre algum trabalho que tem aí vindo a ser feito sobre o efeito positivo do exercício físico no cancro. O documentário não tem legendas mas se percebe inglês vale a pena ver.

Existem vários estudos neste sentido e neste documentário partilham alguns resultados.

  • Doentes a realizarem quimioterapia foram também acompanhados num programa de exercício personalizado. A eficácia do tratamento foi melhor bem como o modo como lidaram com efeitos secundários como náusea e fadiga.
  • O exercício fortalece o sistema imunitário em particular no mecanismo natural que este tem para lidar com células cancerígenas.
  • Pessoas que praticam exercício físico moderado duplicam as hipóteses de sobreviverem ao cancro.
  • O tipo de exercícios pode fazer toda a diferença. Por exemplo, para reduzirem a osteoporose (que resulta dos tratamentos a homens com cancro na próstata) perceberam que exercícios de resistência e impacto tinham resultados enquanto que só exercícios de resistência não faziam diferença.

Além de todos os benefícios do exercício físico, este é mais um motivo para criarmos tempo para o fazer…e jogarmos as nossas cartas conscientemente. 🙂