Durante Julho e Agosto vou sugerir alguns livres e filmes para estes meses mais descansados. Começo por um livro que li há algum tempo e que na altura me impressinou bastante.

Há pessoas especiais que são fortalecidas pelos obstáculos que a vida lhes oferece. Pessoas que passando por situações muitas vezes inimagináveis não perdem a crença no lado bom dos outros, transformam esses momentos em oportunidades de aprendizagem e crescimento e mantêm um optimismo surpreendente. Nelson Mandela foi uma dessas pessoas.

O livro “O Legado de Mandela” de Richard Stengel retrata o comportamento e temperamento de Nelson Mandela. Neste livro são contadas algumas histórias da vida de Nelson Mandela na forma 15 lições de vida, amor, coragem e acrescento liderança. Resumo aqui estas lições citando também algumas passagens do livro.

Lição nº1 – A coragem não é a ausência de medo
Para Nelson Mandela a coragem era aquilo que escolhemos ser. Ninguém nasce corajoso, tudo reside na forma como reagimos nas diferentes situações.

Lição nº 2 – Ser comedido
Conservar-se calmo e mostrar aos outros que o está mesmo que isso seja entediante para os outros. Só explodir ou ter reacções impulsivas raramente e muito calculadamente.

Lição nº 3 – Liderar a partir da frente
Os líderes devem não só comandar como ser vistos a comandar assumindo riscos.
Na prisão isto significou não aceitar regalias especiais e desempenhar as mesmas tarefas que os outros prisioneiros o que deu forças aos outros prisioneiros.

Lição nº 4 – Liderar a partir da retaguarda
Liderar a partir da retaguarda é partilhar a glória e fazer sentir aos outros que influenciam as decisões tomadas. É como o pastor atrás do gado que incita os animais mais inteligentes a seguir a direcção pretendida. Os outros animais seguem os da dianteira e acabam todos por seguir o caminho definido na retaguarda.

A melhor maneira de fazer um povo seguir uma determinada direcção não é tomar a dianteira e ordenar “Sigam-me!” mas sim dando poder a outros para que marchem à frente. É através do poder dado a outros que se transmite a liderança e as ideias.

Lição nº 5 – Adequar o traje ao papel
Por vezes a melhor maneira de dar a conhecer quem somos é pelas aparências. Embora fosse um homem de substância, sabia que era insensato não prestar atenção às aparências. Só temos uma oportunidade de causar uma boa primeira impressão. As aparências (como os seus actos são interpretados) são a realidade.

Lição nº 6 – Ter um princípio fundamental
Nelson Mandela tinha um princípio fundamental: direitos iguais para todos, independentemente da raça, da classe e do género. Quase tudo o resto não é mais do que táctica que adapta e reformula consoante as circunstâncias.

Lição nº 7 – Perceber o bem que existe nos outros
Nelson Mandela acreditava que qualquer pessoa é digna de consideração até que se prove o contrário. Começava sempre por pensar que tratavam com ele de boa fé. Mandela acreditava que, da mesma maneira que as demonstrações de coragem levam a verdadeiros actos de bravura, ver o bem nos outros aumenta as hipóteses de estes revelarem o melhor de si mesmos. Nunca tinha uma palavra menos digna a dizer a respeito de alguém.

Quando se espera mais das pessoas, em geral obtém-se mais. Ou pelo menos fazemos com que se sintam culpados por não terem feito melhor.

Lição nº 8 – Conhecer o inimigo
Para derrotar um adversário Nelson Mandela procurava conhecê-lo e detectar os seus pontos fracos e como usar a força do adversário contra ele próprio. Falava-lhes ao coração em vez de ao cérebro.

Lição nº 9 – Manter os rivais por perto
Nunca deixou de conhecer o rasto dos seus opositores. Imaginava os movimentos dos adversários e preparava-se para o esperado (raramente nos preparamos para situações que sabemos que podem ocorrer).

Lição nº 10 – Saber quando se deve dizer não
Não era homem para dizer talvez. Preferia ser evasivo, protelar, adiar, mas não dizia o que os outros gostariam de ouvir apenas para os satisfazer. Por vezes pedia “Dê-me tempo para pensar”. O preço de não dizer não no momento certo torna ainda mais difícil dizê-lo mais tarde. Quando dizia não, não apresentava falsas desculpas nem deixava a porta entreaberta. É mais fácil aceitar um não firme do que uma desculpa ambígua.

Lição nº 11 – Ver à distância
Planeie a longo prazo e páre para pensar em vez de tomar uma decisão imediata apenas para se mostrar resoluto.

Lição nº 12 – O amor faz a diferença
Nelson Mandela é descrito como um romântico que acreditava que é possível amar uma mulher à primeira vista, mas é preciso um ano ou mais para perceber que é mesmo amor.

Lição nº 13 – Afastar-se também é liderar
A renuncia ao poder foi um dos seus gestos mais emblemáticos. Acreditava que a sua missão era manter o rumo e não comandar o navio.

Lição nº 14 – Por que não as duas coisas?
Por detrás de cada acção nem sempre os motivos são inequívocos. Todas as explicações podem ser verdadeiras e todos os problemas têm diversas causas e não apenas uma.
Cultivava o hábito de considerar várias possibilidades (o sim, o não, o talvez) de uma situação: se tivermos em conta todo o bem e todo o mal, pode ser que encontremos soluções que de outro modo nunca nos ocorreriam. Isto implica colocarmo-nos no lugar daqueles de quem discordamos.

Lição nº 15 – Cada um deve ter a sua horta para cuidar
Na prisão Nelson Mandela mantinha uma horta: um lugar onde se pudesse perder para se encontrar. Defendia que é importante as pessoas terem qualquer coisa que as afaste do mundo e que lhes dê a satisfação de um lugar à parte.