Com o fim do ano muitos começam a pensar e a definir os objetivos para o ano que aí vem. Somos bombardeados pela ideia de que é a única maneira de termos “sucesso” e, pior do que isso, de sermos felizes.

Depois do entusiasmo da definição dos objetivos vem muitas vezes a frustração. A frustração de não os conseguir alcançar. A frustração de olhar para o ano que passou e perceber que nada mudou. A frustração de viver num estado de quase-fracasso porque estamos sempre a correr para algo.

E há também a frustração de ao chegar lá, ao realizar o objetivo, percebermos que a satisfação não é assim tão duradoura.

Não estou a dizer que definirmos objetivos não é importante. Eles guiam-nos e dão-nos propósito mas o modo como muitos de nós estamos a lidar com isso, na prática, reduz a nossa probabilidade de os alcançarmos e, principalmente, de nos sentirmos satisfeitos.

Alguns especialistas defendem uma abordagem alternativa: em vez de definir objetivos defina um sistema.

Aristóteles dizia que “Nós somos o que repetidamente fazemos. A excelência não é uma ação mas um hábito”. E a ideia é mesmo essa. Se dermos pequenos passos sistematicamente, vamos sempre avançar.

Um sistema é um comportamento que fazemos numa base regular e que nos ajuda a aumentar a probabilidade de chegarmos onde queremos bem como a nossa satisfação no percurso. E isso faz toda a diferença para nos mantermos motivados e focados.

Vou dar-lhe vários exemplos para clarificar este conceito.


Objetivo: escrever um livro.

Sistema: escrever 500 palavras por dia (pode não ser muito mas se o fizermos todos os dias…um dia o livro está escrito).


Objetivo: perder peso ou atingir um determinado desempenho desportivo.

Sistema: fazer uma hora de exercício por dia.


Objetivo: mudar de emprego.

Sistema: fazer uma candidatura ou contacto por dia.


Objetivo: ser mais paciente.

Sistema: uma vez por dia, quando sentir que estou a ficar impaciente, respirar profundamente 5 vezes, observar o que se está a passar no meu corpo, observar quais os meus pensamentos e só depois disso escolher como vou responder.


Objetivo: sair mais cedo do trabalho.

Sistema: passar as duas primeiras horas do dia completamente focado em tarefas importantes, sem ver email, sem atender o telefone e fazendo o que for necessário para reduzir as interrupções.


Com esta estratégia estamos a focarmo-nos no que podemos controlar no dia-a-dia que são pequenas alterações ao nosso comportamento ou rotinas que podemos adotar.

Além disso, ao realizarmos estes pequenos passos vamos sentir continuamente satisfação e motivação.

E se pusesse já isto em prática e criasse um sistema para levar para 2018?

Bom ano!