O impacto do exercício físico na prevenção e recuperação do cancro

Pessoalmente sei que, pelo histórico familiar, tenho alguma probabilidade vir a ter doenças que podem causar sofrimento, tirar a autonomia e a vida.

Encaro isso como um jogo. Existe um conjunto de cartas na mesa que aumentam a probabilidade de isso acontecer? Muito bem! Já que é um jogo que estou a jogar (e que não me perguntaram se quero), eu quero também poder jogar as minhas cartas, assumindo comportamentos que podem reduzir a probabilidade dessas doenças.

A prática de exercício físico é uma dessas cartas.

Abaixo partilho um documentário feito na Austrália sobre algum trabalho que tem aí vindo a ser feito sobre o efeito positivo do exercício físico no cancro. O documentário não tem legendas mas se percebe inglês vale a pena ver.

Existem vários estudos neste sentido e neste documentário partilham alguns resultados.

  • Doentes a realizarem quimioterapia foram também acompanhados num programa de exercício personalizado. A eficácia do tratamento foi melhor bem como o modo como lidaram com efeitos secundários como náusea e fadiga.
  • O exercício fortalece o sistema imunitário em particular no mecanismo natural que este tem para lidar com células cancerígenas.
  • Pessoas que praticam exercício físico moderado duplicam as hipóteses de sobreviverem ao cancro.
  • O tipo de exercícios pode fazer toda a diferença. […]

Sugestão de filmes que fazem cócegas e memórias de bons momentos

Costumo ver muitos filmes e no último ano retomei o hábito de ler livros pelo prazer de ler (escrevi há uns tempos um artigo sobre como ler nos pode ajudar a comunicar melhor).

Percebi no entanto que, embora essas formas de arte me deem muito prazer, muitas vezes esqueço-me que passaram pela minha vida. Criei por isso, desde o início deste ano, o hábito de ir escrevendo o nome dos livros e filmes que vejo em cada mês. Nada de muito complicado, uma lista simples, organizada por mês. Para cada livro ou filme escrevo uma ou duas palavras sobre o filme e uma classificação (–,-,+-,+,++,+++) que reflita a minha opinião.

Revi a lista deste ano e fiquei surpreendida. Muitos dos filmes já não me lembrava ter visto mas a lista fez-me recordar tê-los visto. Aconselho mesmo a que experimente escrever, não necessariamente só livros e filmes mas também outras coisas de que goste como sítios que vai, etc.

Nesta lista, lembrei-me de três filmes de que gostei bastante e que foram bastante falados este ano. São daqueles filmes que fazem cócegas na cabeça, sabe quais são? Tem histórias surpreendentes e no fim fica aquela ideia de “como é que pensaram nisto”…

Aproveite […]

A importância da comunicação não-verbal e como é que o estudo de Mehrabian tem vindo a ser mal interpretado

Não podemos negar que, quando comunicamos, a linguagem não-verbal (por exemplo as nossas expressões faciais, o modo como usamos o nosso corpo, o ritmo e tom da nossa voz) tem um impacto muito maior do que a generalidade das pessoas pensa e que, principalmente os perfis mais lógicos, tendem a descurar esta realidade.

Se tem assistido a programas ou seminários sobre comunicação, é provável que já tenha tido contacto com o famoso estudo de Mehrabian e a regra dos 7%-38%-55%. Neste artigo partilho como é que este estudo tem vindo a ser mal interpretado e algumas pistas sobre a importância da comunicação não verbal.

O estudo de Mehrabian: a regra dos 7%-38%-55%

No fim dos anos 60, Mehrabian e colegas fizeram um estudo de que resultou o conhecido gráfico da importância relativa das várias componentes da comunicação. Este estudo levou à generalização de que as palavras que usamos têm um peso de 7% na comunicação, o tom de voz (velocidade, tom, volume) tem um peso de 38% e a linguagem corporal (o modo como nos movemos, as nossas expressões faciais) tem um peso de 55%.

mito-comunicação-mehrabian (1)

Porque é que o estudo de Mehrabian é um […]

Seleção de vídeos no youtube

Convido-vos a visitar o canal do youtube que criei e onde vou colocar:

objetivo-lua-youtube

Filme: amigos improváveis (e o impacto das expetativas no desempenho dos outros)

Para terminar os artigos com sugestões de filmes, proponho desta vez o filme “Intouchables” (em português Amigos Improváveis) que é um bom exemplo do chamado efeito de Pigmalião: as expetativas de por exemplo líderes, treinadores, pais e professores têm um impacto significativo no desempenho daqueles que acompanham.

Este filme é uma comédia de 2011 que alguns consideram um clássico. A história é baseada em acontecimentos verídicos e conta a história da relação de um milionário tetraplégico e do seu auxiliar de enfermagem, ex-condenado e aparentemente sem muitas perspetivas. Contra todos os estereótipos, tornam-se amigos e ambos inspiram a mudança no outro, um retomando o prazer pela vida e o outro tendo a oportunidade de mostrar de que é capaz de mais do que as expetativas, baseadas em preconceitos, que têm dele. Além da história ser boa e divertida, a banda sonora é excelente.

Voltando ao efeito de Pigmalião: em geral não consideramos que as expetativas que temos do desempenho de alguém tenham impacto nesse desempenho mas como tem vindo a ser demonstrado em vários meios, o modo como nos comportamos (acompanhamento, linguagem corporal, comunicação, etc.) relativamente ao desempenho de outra pessoa tem impacto nesse desempenho, […]

Filme: Mais do que sobre moda, lições de vida e negócios

O filme “O diabo veste Prada” vale a pena ver a começar pela interpretação brilhante da Meryl Streep. Mesmo que seja um filme que à partida não seria a sua primeira escolha por não ter grande interesse pelo mundo da moda ou por achar que é um filme de “meninas”, sugiro que lhe dê uma oportunidade. Além de ser divertido, traz algumas lições do mundo dos negócios e da liderança. É um filme excelente para as férias!

Miranda Priestly (Meryl Streep) é a editora chefe de uma revista de moda famosa e contrata a desadequada Andrea “Andy” Sachs (Anne Hathaway) para o cargo de sua assistente. Miranda é conhecida pelo seu estilo de liderança pelo medo (que curiosamente se propaga pelas pessoas abaixo que lideram usando o mesmo estilo embora com menos exagero). Miranda aparenta um equilíbrio e uma calma invejáveis mesmo quando confrontada com a incapacidade da sua equipa. Repare na sua expressão ao despachar as pessoas com o seu característico “That’s all”.

O filme alerta para um conjunto de aspetos importantes no local de trabalho em particular a necessidade de estar preparado, ter ideias e antecipar necessidades. Por outro lado, ambas as personagens principais lidam com problemas relacionados com […]

Filme: Um hino à esperança

“Os Condenados de Shawshank” é um dos meus filmes favoritos. Provavelmente já viu. Mesmo assim, vale a pena ver de novo!

É um filme de 1994 com Tim Robbins e Morgan Freeman (que faz bem de Deus, de Mandela e do que quiser). Conta a história de um banqueiro que é condenado a prisão perpétua pelo (alegado) assassínio da sua mulher. O filme passa-se quase todo na prisão. Com este resumo não seria uma das minhas primeiras escolhas de filmes para ver e já não me lembro como é que o acabei por ver.

Ainda bem que o fiz pois é um filme inspirador, onde a esperança, inteligência, a capacidade de planeamento, auto-controlo e persistência em ambientes adversos são levados ao limite. Tem momentos divertidos e acaba bem o que prova que os filmes não têm que ser sujos, feios e terminarem mal para serem muito bons!

Filmes sobre Nelson Mandela: lições de vida, liderança e comunicação

No seguimento do artigo sobre o livro “O legado de Mandela”, que sugeri na semana passada, deixo a sugestão de assistir ao filme Invictus, em particular se ocupa funções de liderança ou gostava de melhorar a sua capacidade para resolver conflitos (chamo em particular a atenção para a estrutura do discurso da cena em que Nelson Mandela se dirige a um comité que se prepara para acabar com a equipa de Râguebi Springboks).

O poema Invictus de William Ernest Henley dá o mote a este filme que retrata a história verídica de como Nelson Mandela usou o Campeonato Mundial de Râguebi de 1995 para unir uma nação e minimizar os confrontos multirraciais do país. O filme conta essencialmente a história de um homem tenaz e solitário, de uma inteligência e sensibilidade que ultrapassam o ser Humano comum, com a clarividência que gostaríamos que os nossos dirigentes tivessem. Nelson Mandela é retratado como um líder inspirador e humano, para quem “ninguém é invisível”. A veracidade da história dá a todo o filme uma dimensão impressionante e faz sobressair a mesquinhez e capacidade para a infelicidade dos homens.

Invictus, William Ernest Henley, 1875

Out of the night that covers […]