Tenho observado que muitas vezes o que nos impede de agir para transformarmos algo na nossa vida ou realizarmos um sonho é estarmos, em vez disto, a investir a nossa energia a tratar de outras várias pequenas coisas.

Podemos chamar a estas pequenas coisas as areias nas engrenagens da nossa vida.

E nalgumas situações há um mecanismo em nós que acredita que SÓ podemos colocar a máquina que vai realizar os nossos desejos a funcionar depois de remover todas as areias da engrenagem.

As areias da nossa vida

Encontramos estas areias tanto na nossa vida pessoal como profissional. Às vezes tomam a forma de:

  • Coisas que tenho e não quero: tarefas a terminar ou problemas a resolver não relacionados com o nosso objetivo (às vezes dizemos “quando eu resolver isto/terminar aquilo vou estar mais descansado para me focar totalmente…”);
  • Coisas que não tenho e acho que são essenciais: coisas que achamos que temos de fazer/ter para pôr a máquina a funcionar.

Muitas vezes estas areias são histórias que contamos a nós mesmos para justificar a procrastinação de…começar! É verdade que essas areias podem tornar a máquina mais lenta mas só ganhamos algo, só produzimos algo quando a máquina funciona mesmo que lentamente. Alguém produz algo por limpar as engrenagens de uma máquina?

Existem várias coisas que quando entramos neste loop nos esquecemos.

Vão sempre existir areias

Aceitemos que vão sempre existir mil e uma outras coisas para fazer, problemas para resolver. Até vai existir um momento em que estas que nos ocupam agora vão estar resolvidas (vai, a sério!) mas nessa altura outras areias vão aparecer (vão, a sério!).

A nossa energia é finita

A nossa energia é finita (e podemos substituir “energia” por tempo e motivação). Se gastamos a nossa energia a tratar das areias, vamos ter menos energia para pôr a máquina a funcionar. Faz sentido, não é?

Grandes coisas não se fazem por impulso, mas pela junção de uma série de pequenas coisas (Van Gogh)

Às vezes esquecemo-nos que realizarmos o que pretendemos (alguns chamam-lhe sucesso mas embirro um pouco com essa palavra) não é, na maior parte das vezes, um caminho sem obstáculos. Alguns dos obstáculos dessa viagem são as areias…que vão sempre existir.

Só que, como em qualquer viagem, se não começarmos, não chegamos a lado nenhum. E passo a passo, onde chegamos? Lá!

Tratar das areias sorve a nossa energia e motivação

Tratar das areias não nos inspira. Por isso, não só estamos a gastar a nossa energia a tratar das areias como fazê-lo reduz a energia e motivação necessárias para alimentar a máquina dos nossos sonhos.

Toda esta história de areias, engrenagens e máquinas para dizer o quê?

Se vão sempre existir areias, será melhor aceitar essa inevitabilidade e começar a pôr a máquina a funcionar?

Mesmo mais lentamente, teremos mais progresso do que se não começarmos…e passo a passo, um dia chegamos onde queremos.

Espero que isto ressoe em algo dentro de si e o inspire a pôr a máquina a funcionar agora. 🙂