“O barato sai caro!” é uma frase tão corriqueira e no dia-a-dia muitas vezes, com a pressão de reduzir custos financeiros, de termos “Exceis” e Dashboards cheios de indicadores positivos, pomos em causa coisas que não se podem medir como a produtividade ou a satisfação das pessoas.

Vou dar-lhe um exemplo muito simples. No meu trabalho preciso de imprimir vários materiais para os participantes nos meus cursos (eu sei, não é muito ecológico mas por outro lado a escrita à mão é uma ferramenta poderosa para apoio na reflexão). Às vezes a impressora passa uma manhã a imprimir…trrrrr…trrrr…trrrrr

No início da minha atividade, armada do meu Excel de análise financeira e de objetivos de cortar custos não essenciais, escolhi uma marca de papel mais barata. Papel é papel! Em tudo semelhante ao das marcas mais caras. Parece…mas não! Encravava, juntava folhas e não só obrigava a imprimir algumas coisas segunda vez como obrigava a um maior acompanhamento e verificação.

Tempo…é dinheiro. Resolvi experimentar outra marca de papel mais cara (já agora passo a publicidade estou a usar a marca Navigator). E o problema acabou. Como quantifico o ganho? Em euros? Não fiz a conta. Em tempo, algum e tempo perdido (e irritação ganha) não se recupera.

Outros exemplos que vejo muitas vezes é queremos poupar nas licenças de software. Existem muitas soluções grátis mas muitas delas são grátis porque não foram tão pensadas nem resolvem os problemas completamente.

E depois experimentamos as versões pagas e pensamos “como passei sem isto”? Anda tanta gente mergulhada em Exceis (se calhar o problema está todo no Excel!) sem perceber que existem ferramentas que nos ajudam a gerir o trabalho, a automatizar tarefas, a fazer o nosso trabalho com menos esforço.

Como se mede o esforço e tempo perdido?

Como se mede o impacto de uma pequena decisão mal comunicada por falta de tempo na motivação das pessoas?

Muitas vezes não conseguimos e como não aparece no Excel…é como se não existisse.

Até alguém perceber que nem tudo se mede no Excel e que o barato sai caro!

Quais as coisas que se investisse agora podia poupar a longo prazo?