Como tomar decisões em grupo?

Se precisa de tomar decisões em grupo aconselho a que explore este site  (em inglês) que lhe dá pistas sobre quais o modelo de decisão mais adequado ao seu contexto com base em variáveis como a urgência da decisão, a clareza das opções, consequências, etc.

Não vai tomar a decisão por si mas vai dar-lhe pistas de como lá chegar. 🙂

Essa história da liderança é uma treta…

Um “rico líder”…

Há dias numa conversa com o responsável de uma microempresa, ele dizia-me qualquer coisa como: “Um bom líder tem que se fazer respeitar, ser duro e mandar para que se faça! Porque as pessoas são preguiçosas e não pensam. Preciso de estar sempre em cima e chamar a atenção e da imagem que estão a passar para os clientes! Isto é que é liderar…não é conversas e dar-lhes liberdade. Isto é o que funciona…há tanta gente com negócios e ricos que fazem assim.”

Pois há.

E será que há outras estratégias de liderança com melhores resultados nos seus negócios?

E será que se adotassem outras estratégias de liderança, iam-se preocupar menos, ser mais dispensáveis e terem mais tempo para por exemplo fazer o seu negócio crescer ou mais tempo livre na sua vida pessoal?

Será?

Quer contratar esta pessoa?

Mais ou menos na mesma altura falei com uma pessoa que já conheço há muito tempo e em quem sempre reconheci um alto nível de competência, autonomia, empenho, motivação e entusiasmo naquilo que faz. Se é responsável por uma equipa na sua empresa, já está a pensar que gostaria de ter esta pessoa na sua equipa, certo?

Se calhar tem uma oportunidade!

Encontrei esta pessoa sem […]

A característica que melhor prevê o sucesso de quem tem funções de liderança

Nos últimos anos vários estudos têm chegado à conclusão que a autoconsciência é a característica que melhor prevê o sucesso de quem tem funções de liderança. A autoconsciência é uma das dimensões da inteligência emocional e consiste em estarmos conscientes do nosso estado interno e do impacto nos outros.

Quem tem esta dimensão desenvolvida consegue entregar melhores resultados através da criação de relações mais fortes e autênticas com todos os níveis organizacionais, de lidar com conflitos e ter conversas abertas com foco na melhoria (em vez do fracasso e da culpa) e ser capaz de balancear as características normalmente associadas com funções de gestão e liderança como autoridade e controlo.

Estas características geram equipas mais empenhadas e maior retenção. E é isso que se quer, certo?

Se gere equipas e, apesar de não ter tempo para fazer este caminho quer muito fazê-lo, espreite o programa Liderança Efetiva para Gestores Ocupados onde, sem sair do seu local de trabalho, vamos trabalhar este tema a partir de 3 de maio, durante 7 sextas-feiras na hora do almoço. Apesar de estar atrás de um computador com câmara e microfone será como se estivéssemos na mesma sala 🙂

Porque é que as ferramentas e apps de produtividade podem não servir para nada

Hoje em dia temos uma lista infindável de ferramentas eletrónicas que prometem mudar a nossa vida e fazer o tempo esticar.

Eu adoro explorar estas ferramentas e reconheço que sem algumas delas a minha vida seria mais difícil.

Observo no entanto que muita gente dá o passo de usar algumas destas ferramentas para pouco depois desistirem porque não lhes resolvem o problema.

Na realidade, o problema não são as ferramentas mas o modo como as usamos. As ferramentas dão-nos uma estrutura mas antes disso precisamos de um processo (organizacional ou individual) para gerirmos o nosso trabalho.

Precisamos também de desenvolver uma mentalidade de melhoria contínua neste campo, ou seja, de estarmos atentos a como melhorar em vez de nos resignarmos às circunstâncias.

Um martelo (ferramenta) é útil e para tirarmos partido do martelo precisamos de saber usá-lo, agarrar no cabo e usar a força adequada.

Mas mais do que isso, precisamos de saber o que estamos a construir e como o vamos fazer.

A competência de usar ferramentas de produtividade é importante mas é provavelmente a parte mais simples.

O que é realmente importante é ter competências de produtividade e a mentalidade da procura da melhoria contínua neste campo.

PS: Se é engenheiro e que treinar tudo isto […]

Como guiamos o nosso dia?

Para mim uma das ferramentas essenciais para gerir o que há a fazer é a agenda e uma lista de tarefas. A maior parte dos especialistas nestes temas defende que devemos atribuir datas para realizar as tarefas. Eu cada vez observo mais clientes a terem bons resultados com esta prática. A mim, pessoalmente, traz-me capacidade de limpar a minha mente de toda esta informação e lidar com complexidade das grandes e pequenas coisas que gerir um negócio traz sendo capaz de cumprir com o que me comprometo.

Algumas pessoas não acreditam que isto funcione porque sentem que há muitas coisas imprevistas na sua vida que as impede de planear. Compreendo esta realidade perfeitamente e defendo que apesar disso deve haver uma predisposição para fazer um planeamento diário e semanal.

Vamos pensar sobre este tema com outro prisma.

Planear para chegar onde queremos

Imagine alguém que tem uma profissão que implica visitar muitos clientes deslocando-se muito de carro. Vive num país complicado, onde as estradas estão em mau estado, há muitas obras, os sentido das ruas mudam com frequência ou são fechadas temporariamente, há engarrafamentos e acidentes que o obrigam a todos os dias a refazer as suas rotas. O horror! :0

Imagine como seriam […]

Gestão de conflitos: as 5 estratégias e porque não ouvimos

Quando falamos em gestão de conflitos, o modelo seguinte dá-nos uma visão clara das várias estratégias que podemos adotar. Este modelo descreve as várias respostas em conflito mediante dois tipos de comportamento:

  • Assertividade: estarmos focados em satisfazer os nossos interesses leva-nos a ser mais assertivos.
  • Cooperação: estarmos focados em satisfazer os interesses dos outros leva-nos a cooperar mais.

O comportamento que adotamos depende das circunstâncias embora possam existir pessoas que tentem a adotar com mais frequência uma das 5 respostas descritas por este modelo e representadas na imagem seguinte.

 

Competição

Nesta estratégia a pessoa está focada nos seus interesses e é comum quando tem mais poder na relação.

Pode no entanto ser justificável quando estão princípios importantes em causa, ou não já tempo para chegar a um acordo ou é uma solução “ele ou eu”.

Como resultado, o outro vai sentir-se injustiçado ou humilhado o que poderá trazer problemas no futuro.

Concessão

Aqui a pessoa cede apesar das suas necessidades.

Esta estratégia é útil por exemplo quando se quer manter a relação, ou o resultado é mais importante para o outro e a pessoa tem pouco a perder. É uma estratégia de generosidade focada na harmonia.

No entanto, quando é uma […]

Escreva ditando para o computador ou para o telemóvel

Estou maravilhada!

Descobri o Gboard (Google Play para Androide ou iTunes) , um teclado para o telemóvel que permite ditar em português e o texto ser escrito em qualquer que seja a aplicação. Em Português! Muito útil para mandar sms, mensagens ou outros textos mais rapidamente.

A barra de pesquisa da Google já permite fazer isso mas eu desconhecia como fazê-lo por exemplo para enviar uma sms ou uma mensagem noutra aplicação em PORTUGUÊS! Precisa sempre de estar ligado à internet. Basta clicar no icon do microfone e ditar. Convém falar mais devagar e articular as palavras. Só ainda não consigo colocar pontuação.

E há mais boas notícias. É possível fazê-lo num documento tipo word se usar os documentos do google.

Num documento do Google vá a FERRAMENTAS e escolha Google Digitação por Voz ou use os atalhos  (Ctrl+Shift+S no Windows e Cmd+Shift+S no Mac). Pode escolher qual a linguagem que está a usar.

Como nos podemos conhecer melhor com o DiSC

O que é o DiSC?

Muitos procuram ter mais clareza sobre as suas respostas comportamentais, quais as estão a ajudar e quais estão a limitar. Muitas vezes há pessoas que nos dão feedback mas elas nem sempre nos conhecem bem. Conhecer o nosso perfil DiSC traz-nos clareza e este perfil é produzido com base nas nossas respostas a um questionário. Uma vez um cliente depois de conhecer o seu perfil DiSC disse-me “Ana, parece que me está a ver de cuecas!”.

O DiSC oferece-nos também uma melhor compreensão dos outros e uma estrutura/linguagem comum que nos permite analisar comportamentos e preferências de comunicação bem como percebermos porque há relações na nossa vida profissional que são mais fáceis e outras nem tanto.

O DiSC é um perfil comportamental.

objetivo-lua-disc-relatorio
O DiSC é uma ferramenta de desenvolvimento comportamental que tem como objetivo ajudar as pessoas a que se conheçam melhor a si próprias, compreendam melhor os outros e saibam adaptar o seu comportamento em função do interlocutor e da situação.

DiSC é o acrónimo para as quatro dimensões comportamentais que descrevem o modo como naturalmente nos comportamos. A ferramenta DiSC analisa e descreve estes modos como Dominância, Influência, […]

Por onde começar?

A lei dos 80/20, também conhecida por lei de Pareto, diz-nos que 20% das causas geram 80% dos resultados.

Estes números são mais ou menos indicativos mas sugerem coisas como 20% dos clientes geram 80% das vendas ou 20% dos problemas geram 80% das reclamações.

Esquecendo os números específicos, percebemos que podemos aumentar os resultados (vendas, reduzir reclamações, satisfação pessoal) com menos esforço se investirmos nos 20% que geram a maior parte dos resultados.

Em vez de investirmos em tudo ou em coisas que não trazem muito resultado, descobrir quais são aqueles 20% que potenciam os resultados levam-nos a agir com menos desperdício de energia.

Hoje proponho-lhe que use esta metodologia para refletir sobre (1) as áreas que gostava de desenvolver na sua vida ou (2) as coisas que lhe trazem “dor” na sua vida.

“Arrume” esses temas numa matriz consoante o resultado que tragam e o esforço que precisa para desenvolver essa área.

É certo que quantificar o resultado e o esforço pode não ser fácil. No entanto, conseguirá com certeza uma arrumação relativa que lhe ajudará a priorizar onde “atacar” primeiro. Para avaliar o esforço pense por exemplo no tempo, energia e investimento financeiro.


Pode pensar […]

Quando isto for “assim”…

Em situações de conflito com outros ou connosco mesmos ou de insatisfação com “a vida”, muitas vezes estamos agarrados à solução, à estratégia que nos trará satisfação. Quando isso acontecer,  quando os outros “forem/fizerem”, quando isto for “assim” vamos estar satisfeitos.

A solução pode ter a forma de coisas como relação com uma pessoa, bens materiais, experiências, condições de vida. Por exemplo, alguém pode pensar que para se sentir satisfeito precisa de estar mais tempo com alguém importante na sua vida, ou que um colega ajude mais, ou que haja silêncio, ou que ganhe mais, ou que o chefe o reconheça, ou que não haja trânsito, ou de comer algo, ou que…

O pior é quando essas soluções não dependem de nós mas do comportamento dos outros ou do “mundo”. Se nos mantivermos agarrados às soluções corremos o risco de ficar insatisfeitos.

Vale muito a pena investigarmos dentro de nós qual é a necessidade que motiva a solução que criámos. Mas investigar mesmo! Procurar perceber sem nos satisfazermos com a primeira resposta e óbvia. Estas necessidades no limite são sempre estados emocionais a que queremos aceder.

Há sempre uma necessidade e a solução/estratégia é a maneira que estamos a ver de satisfazer essa […]