Dois hábitos das pessoas ocupadas e de alto desempenho

Nós somos o que repetidamente fazemos. A excelência não é uma ação mas um hábito. Aristóteles.

Gosto muito desta frase porque cada vez mais acredito que a nossa capacidade de realizarmos aquilo que queremos, de termos as relações que queremos, de nos sentirmos como queremos depende da nossa capacidade de criarmos hábitos QUE NOS SIRVAM.

Muitos de nós têm medo dos hábitos e vêem a rotina como algo maçador. No entanto, não percebemos que muito, mas mesmo muito (estudos indicam que mais que 40%), do que pensamos, sentimos e fazemos está em piloto automático, são rotinas internas que criámos ao longo do tempo. E algumas, senão muitas, não nos servem e até nos afastam do que queremos.

Um dos caminhos para transformar alguma área da nossa vida é transformarmos algo que fazemos diariamente. Coisas pequenas que ao entrarem na nossa rotina passam a fazer parte de quem somos e já nem gastamos energia a pensar nisso.

Hoje não quero falar sobre como os hábitos funcionam mas sugerir-lhe dois que pode integrar no seu dia-a-dia e o vão ajudar a sentir-se mais realizado, mais descansado e até com mais tempo.

Ofereça alguns minutos a si mesmo logo quando acorda

Muita gente começa o dia […]

A lista de coisas que tem para fazer causa-lhe ansiedade?

Não conheço ninguém que não tenha uma lista (e pode ser uma lista na cabeça) de coisas para fazer. Quando não estamos a falar de tarefas profissionais, falamos de coisas pessoais que há a fazer.

Uma coisa curiosa com esta lista é que nunca vai acabar. Muitos de nós estão quase viciados em despachar tarefas na ilusão inconsciente de que um dia não haverá mais nada a fazer e aí, finalmente, vamos descansar.

A minha agenda e a aplicação que uso para gerir as minhas tarefas são fundamentais para eu manter a sanidade. Uso essas ferramentas para planear o que há a fazer a nível profissional e pessoal mas também registo aí ideias que tenho, conteúdos que quero consumir, coisas que me quero lembrar de pensar, atividades recorrentes da minha vida, etc.

Para algumas pessoas a vista dessa informação toda agrupada poderia trazer alguma ansiedade e confesso que há dias em que sinto isso.

Nos últimos tempo tenho andado a fazer uma experiência derivada do treino de mindfulness. No treino de mindfulness treinamos a nossa atenção em estar aqui e agora.

O que tenho feito é lembrar-me disso repetindo com alguma frequência para mim mesma que

Eu encaro o que estou a fazer agora como […]

Como resistir à tentação

Resposta rápida: remover a tentação.

Todos nós somos “tentados” no dia-a-dia por coisas que gostaríamos de conseguir evitar.

Alguns de nós são tentados por comida.

Outros por distrações.

Outros por comportamentos que não nos servem.

Resistir à tentação é difícil porque implica gastar energia.

Chamamos a esta energia FORÇA DE VONTADE. Muitos de nós acreditam que ter ou não força de vontade é uma característica inata e pessoal mas isso não é verdade.

De uma maneira muito simplista considere que, tal como a força muscular, a força de vontade se gasta ao longo do dia (como? quando se usa!) e pode ser fortalecida.

Mas hoje não quero falar-lhe de como fortalecer a força de vontade. Quero deixar-lhe a sugestão mais simples para nem ter de a usar (e gastar).

Se a tentação não existir é muito, muito, muito mais fácil não nos deixarmos seduzir por ela.

Remova as tentações do seu ambiente

Por exemplo, se tem dificuldade em resistir à tentação de doces a solução é nem os comprar. “Bolacha comprada, bolacha comida!”. (E se a desculpa é que precisa de ter estas coisas em casa por causa das crianças, aconselho-o a ver a reportagem “Somos aquilo que comemos”. )

Se tem dificuldade em resistir à tentação de […]

5 dicas para lidar com alguém “irritante”

Só de ler o título deste artigo começou logo a pensar nalgumas pessoas da sua vida? Talvez…

Vou dar-lhe algumas sugestões para lidar com alguém “irritante”…seja lá o que isso for para cada um.

Dica #1: não lidar

Evite. Fuja. Ignore.

Não siga. Desamigue (das redes sociais).

Dica #2: ter compaixão

Lembre-se que só tem que lidar com essa pessoa um tempo limitado mas essa pessoa precisa de lidar consigo mesma todo o dia.

Dica #3: não reagir

Reagir a um comportamento irritante pode reforçá-lo.

Às vezes esse comportamento pode ser uma forma de chamar a atenção. Ao reagir está a premiar esse comportamento.

Por exemplo, se alguém está a teimar em algo (e lembre-se que ninguém teima sozinho), reagir (teimar) reforça esse comportamento.

Dica #4: encorajar o positivo

Essa pessoa é sempre irritante? Provavelmente não.

Encoraje/elogie quando não o faz.

Dica #5: mudar a atitude

Respire fundo antes de ler o que vou dizer a seguir.

As pessoas não são irritantes.

Nós é que ESCOLHEMOS sentirmo-nos irritados com determinados comportamentos que alguém adota.

É certo que a escolha não é na maior parte das vezes consciente (“Agora que ele fez isto vou ficar mesmo irritado”) e é o resultado das nossas crenças, dos nossos valores, daquilo que ACREDITAMOS estar certo.

“Se não gostas de uma coisa, […]

Lições da vida para lidar com o stress: uma colher de cada vez

Tenho observado em mim (e noutras pessoas, confesso que ando atenta!) como comemos uma refeição: tipicamente enquanto estamos a mastigar estamos já ao mesmo tempo focados em colocar novo alimento no garfo ou na colher (vá, observe se não tenho razão!).

Mesmo quando até temos a intenção de estar a usufruir do alimento (o que é raro) estamos focados no que vamos comer a seguir, em despachar este pedaço para despachar o próximo, e o próximo, e o próximo.

Na realidade esta é apenas uma das coisas que fazemos no nosso dia-a-dia que exemplifica o modo como cada vez mais operamos no mundo.

Cada momento é um pequeno obstáculo para o que vem a seguir, um pequeno obstáculo que queremos superar, numa corrida sem fim (bem, pelo menos a refeição tem fim).

Todos percebemos que uma corrida sem fim é com certeza cansativa!

Cada vez mais há evidências que a capacidade de estar no momento presente nos ajuda a lidar com o stress, ansiedade e a acedermos a estados de felicidade. No fundo, é o que todos queremos, não é?

Por isso deixo-lhe esta sugestão de treino para lidar com o stress e ansiedade. Nas próximas refeições, treine comer uma colher de cada vez.

E como é […]

A regra dos 15 segundos de elogio

Não consegui encontrar o estudo original para confirmar esta informação mas parece-me que vale a pena partilhá-la.

Quando elogiamos alguém é necessário fazê-lo durante 15 segundos consecutivos para que isso seja ouvido. Por outro lado, a crítica é assimilada de imediato.

A maior parte das pessoas não está habituada a ouvir elogios e por isso rejeita-os até com alguma desconfiança: “o que é que este quer?”.

Por isso, nos próximos tempos quando quiser elogiar alguém da sua família, um amigo, um colega ou até um desconhecido, cronometre 15 segundos para ser levado a sério. 🙂

Quais são as fotos que guarda?

Já referi várias vezes neste blog os divertidos e inspiradores textos do Ajahn Brahm cujos livros infelizmente não estão traduzidos em português.

Deixo hoje uma das ideias que ele propõe num dos seus contos do livro “Don’t worry, be grumpy”.

Muitas pessoas têm álbuns de fotografias onde guardam as memórias dos seus momentos felizes como das férias, do casamento, da infância. Hoje em dia já as guardamos no telemóvel mas em geral documentam momentos felizes. Por outro lado, não conhecemos ninguém que tenha álbuns de fotografias dos momentos menos bons.

Ao mesmo tempo, temos um outro álbum que mantemos na nossa cabeça ao qual chamamos memória. Neste álbum incluímos muitas fotografias de momentos menos bons: quando nos irritámos com alguém, quando nos sentimos desapontados, quando fomos maltratados. Neste álbum há surpreendentemente menos fotos dos bons momentos o que não faz muito sentido.

O Ajahn Brahm sugere fazermos uma purga ao álbum da nossa cabeça. Apagar as memórias pouco inspiradoras e nesse lugar colocar o mesmo tipo de memórias que estão no álbum de fotos real. Colar aí momentos com as pessoas que amamos, ou quando fomos surpreendidos por uma generosidade inesperada, ou quando as nuvens se dissiparam e o sol brilhou com uma […]

Os meus filmes favoritos de 2017

Há dias partilhei um artigo em que lhe propunha a ideia de fazer um diário. Uma das coisas que registo no meu são os livros e filmes que vejo. Estive a rever os de 2017  e lembrei-me de partilhar dois dos filmes que mais me marcaram.

Hacksaw ridge (Até o último homem) é baseado numa histórica verídica e conta a história de um médico no exército americano que durante a Segunda Guerra Mundial se recusou a pegar em armas. Achei inspiradora a força deste homem em defender os seus princípios e ser capaz de contribuir à sua maneira (fazendo uma diferença impressionante). [trailer]

Hidden Figures (Elementos secretos) é também baseado numa histórica verídica e conta a história de três mulheres afro-americanas que fizeram a diferença na corrida espacial americana apesar de todos os preconceitos a que estiveram sujeitas.[trailer]

Talvez o que me tenha mais impressionado nestes filmes foi serem baseados em históricas verídicas de pessoas que, apesar das dificuldades, conseguiram manter os seus princípios e atingir resultados. Gosto de filmes assim. E estes acabam bem (spoiler alert!)

Sugestão de rotina para aprender e focar-se no que quer

Se pensa seriamente (mas só se for seriamente) em melhorar alguma área da sua vida, deixo-lhe a sugestão de começar a escrever um diário.

Muitos de nós quando pensam num diário, pensam no registo do que nos acontece no dia-a-dia mas não é necessariamente isso. Muitos escritores, cientistas, artistas e outros profissionais mantêm um diário como para os ajudar a refletir sobre o modo como estão/se sentem no mundo, explorar ideias e focarem-se nos resultados que pretendem.

Pensar escrevendo tem a capacidade quase mágica de clarificar e organizar os nossos pensamentos. A escrita remove blocos mentais, entretendo o hemisfério esquerdo e libertando o direito para nos conhecermos melhor, ao mundo à nossa volta e vermos caminhos ainda não explorados.

Alguns estudos sobre este tema sugerem que quem mantém um diário lida melhor com situações de stress, sente menos ansiedade, aumenta o foco e capacidades cognitivas.

Pode aproveitar o início do ano para criar a rotina de algo muito simples como por exemplo escrever no início do dia as coisas que quer realizar, ou como se quer sentir, ou focar.

Resumindo: quais são as suas intenções para esse dia que pode ser qualquer coisa tão simples como sentir-se tranquilo, energético ou realizar algo específico.

Quando trazemos […]

Ebook 5 reflexões sobre produtividade, motivação e liderança

Estou a preparar-me para compilar o e-book anual com alguns dos artigos do blog Objetivo Lua publicados em 2017.

Lembrei-me de partilhar o e-book “5 reflexões sobre produtividade, motivação e liderança” que publiquei com os artigos de 2016.

Espero que lhe seja útil. Boas leituras! 🙂

Descarregue aqui o ebook