6 estratégias para transformar a decisão de ano novo de fazer exercício numa rotina

Confesso que durante muitos anos detestei fazer exercício…e por isso não fazia. Até que um dia tomei a decisão de viver muitos anos com saúde. A parte do “com saúde” é muito importante já que tenho observado o impacto que muitas doenças trazem à autonomia e capacidade de viver uma vida plena. Percebi que a prática de exercício é essencial para reduzir a probabilidade dessas doenças e também uma boa estratégia para me sentir bem.

É curioso que alguns participantes nas minhas formações têm decidido criar o hábito da prática de exercício só que alguns têm dificuldade em sustentar o entusiasmo inicial e criar essa rotina na sua vida. Aproximando-se o fim do ano, muita gente desenha objectivos para o ano seguinte e este é um dos que costuma estar nessas listas em particular por causa da culpa dos quilos extra com as festas que cada vez começam mais cedo.

Neste artigo dou algumas pistas que, caso tenha tomado esta decisão, o podem ajudar a aumentar a probabilidade de criar um hábito dessa decisão.

1. Faça alguma coisa que goste

Há quem associe prazer ao resultado que vai obter com a prática de exercício (como perder peso, ficar mais saudável, sentir-se melhor e […]

Porque é que às vezes fazemos coisas que são contrárias aos nossos interesses?

Às vezes fazemos coisas que são contrárias aos nossos interesses e felicidade. Hoje partilho uma ideia que nos pode ajudar a realizarmos sustentadamente o que nos traz valor e faz feliz.

O princípio da consistência

Um dos princípios da influência identificados por Robert Cialdini é o da consistência e este princípio é por vezes explorado por quem quer influenciar outras pessoas.

A consistência, ou seja termos os mesmos comportamentos do passado ou de acordo com aquilo que pensamos/pensam que somos, é uma característica altamente valorizada na sociedade. Quando alguém se contradiz, muda de opinião, volta com a palavra atrás, ou muda algum comportamento que até essa altura sempre teve, muita gente acha que essa pessoa tem duas caras, não sabe o que quer ou até tem algum problema mental. A consistência está associada com qualidades pessoais e intelectuais e intimamente ligada à estabilidade e honestidade de um indivíduo. Vários estudos têm observado que para manter a imagem de consistência muitas vezes temos atitudes que não são do nosso melhor interesse, principalmente porque não paramos para pensar nisso.

Exemplos de como o desejo de consistência nos pode limitar ou fazer crescer

A necessidade de sermos consistentes pode-nos levar a comprar uma coisa que não queremos/precisamos e […]

Seleção de vídeos no youtube

Convido-vos a visitar o canal do youtube que criei e onde vou colocar:

objetivo-lua-youtube

Como reprogramar o piloto automático e fortalecer a força de vontade

As férias podem ser uma boa altura para criar ou mudar hábitos, ou pelo menos para começar a pensar nisso. Hábitos são comportamentos que fazemos repetidamente sem pensarmos muito nisso. Alguns destes comportamentos contribuem para aquilo que queremos ser e outros nem tanto.

Quando nos falam de hábitos tendemos a pensar em coisas como fazer ou não exercício, comer doces, beber, fumar e outros comportamentos que por vezes são levados ao extremo. No entanto, coisas como as nossas rotinas, o percurso que fazemos para o trabalho, qual a primeira coisa que fazemos quando chegamos ao trabalho, como nos relacionamos com os outros (por exemplo quando nos “salta a tampa”) e até as nossas emoções são rotinas automáticas também consideradas hábitos.

Os hábitos são escolhas deliberadas que fizemos no passado e que depois continuámos a fazer sem ter que pensar nelas. São rotinas neurológicas que resultaram de uma escolha no passado (mesmo que essa escolha não tenha sido racional ou até consciente) e que se transformaram em comportamentos automáticos, muitas vezes não conscientes.

Estudos sugerem que 40% das nossas ações diárias não são fruto das nossas decisões mas sim de hábitos, de comportamentos inconscientes, resultado natural de uma das estratégias do nosso cérebro […]

A chave da felicidade

A felicidade

Com base numa proposta do Butão (o país que tem como estatística a Felicidade Nacional Bruta em vez do Produto Interno Bruto), a ONU criou o dia mundial da Felicidade a 20 de Março. A felicidade é um estado que todos “buscam”, mesmo que através de meios diferentes (dinheiro, relações, experiências, saúde, conforto, etc.). Se perguntarmos a alguém o que alguma destas coisas lhe vai trazer, no limite, será sempre “sentir-se mais feliz”.

Coloquei o verbo buscar entre aspas porque é transformador perceber que a felicidade é um estado emocional que, como qualquer outro estado, não depende do que acontece ou obtemos mas depende de nós. Todos conhecemos histórias de pessoas que mesmo a atravessar desafios muito complicados conseguem manter a serenidade e sentirem-se gratas e felizes com o que têm…muitas vezes dando valor às pequenas (?) coisas.

Nos dias de hoje somos treinados para estar sempre à procura de algo, à procura da vida perfeita: “vou ser feliz quando…”. Quando atingimos essa meta descobrimos que, afinal, não era bem isso, que não nos traz a satisfação que estávamos à espera ou queremos mais.

A prática de gratidão

Uma das características das pessoas serenamente felizes é a sua capacidade de estarem gratas […]

Ninguém tem pena das pessoas felizes

Na página do facebook costumo partilhar algumas frases e citações curtas que fazem pensar, rir ou inspiram. Um dos meus temas preferidos é a felicidade e hoje li um texto do Miguel Esteves Cardoso intitulado “Ninguém tem pena das pessoas felizes” que podem ler aqui. Como o achei curioso e divertido partilho aqui no blog.

 

O meu primeiro livro impresso e o mito do ano novo, vida nova

Já há muito tempo que gosto de escrever (inclusive e-books) e tenho sempre a intenção de poder ajudar quem lê a aprender e a transformar algo na sua vida. Senti no entanto um gostinho especial ao ver impresso o pequeno livro “Transforme os seus hábitos” que escrevi sobre como podemos alterar os comportamentos de que não gostamos ou criar os comportamentos que queremos ter.

Este livro resulta de estudar, experimentar e observar que muitas vezes nem pensamos no que fazemos e que vivemos num modo de piloto automático. O nosso piloto automático é um mecanismo de sobrevivência do nosso cérebro para poupar energia e nos deixar focar em coisas importantes. Já imaginaram o que seria estarmos constantemente a avaliar tudo o que fazemos e nos rodeia?

Nesse processo automatizámos não só coisas triviais como conduzir mas também coisas que fazemos, pensamos, sentimos, dizemos e não gostamos. Eu pelo menos tenho algumas. São boas notícias quando pensamos em mudar isso pois significa que já tomámos consciência de que essas coisas acontecem e queremos melhorar. O passo seguinte é lidar com automatismos já instalados em nós pela força da repetição de comportamentos dia após dia. É por isso que tantas vezes é difícil […]

Comece já a preparar 2014 (desconto em workshop)

[email protected] a participar e divulgar o workshop “Como transformar hábitos e fortalecer a força de vontade” que ocorrerá em Lisboa dia 11 de Janeiro. As inscrições até dia 31 de Dezembro terão direito a um desconto. Se trouxer um amigo, receberão ambos um e-book sobre este tema.

Hábitos são comportamentos que faz repetidamente sem pensar muito nisso ou que ainda não faz e gostaria de fazer. A qualidade dos nossos hábitos físicos, mentais e emocionais está intimamente ligada à nossa qualidade de vida e alguns dos nossos hábitos não contribuem para aquilo que queremos ser.

Neste workshop de 2.5 horas terá acesso ao que de mais recente se tem descoberto na área da neurociência sobre a criação de hábitos, força de vontade e colocará logo em prática o que está a aprender definindo uma estratégia para mudar ou criar um hábito.

O primeiro workshop de 2014 será já dia 11 de Janeiro em Lisboa. Quem tomar já a decisão de que quer fazer diferente em 2014 e se inscrever até ao fim deste ano tem um desconto. Comece já um 2014 com o pé direito e aumente a probabilidade de que as suas resoluções de ano novo se concretizem!

Visite a […]

Se os hábitos fazem de nós o que somos, o que precisa de saber para criar e mudar os seus hábitos?

40% do que fazemos são hábitos

Estudos sugerem que 40% das nossas ações diárias não são fruto das nossas decisões mas sim de hábitos, de comportamentos inconscientes, resultado natural de uma das estratégias do nosso cérebro para poupar energia (se for automático e não tiver que pensar nisso, cansa-se menos, certo?). Os hábitos são escolhas deliberadas que fizemos no passado e que depois continuámos a fazer mesmo sem pensar nelas. As seguintes situações são exemplos de hábitos:

  • Há três meses que ele paga a mensalidade do ginásio mas só lá foi quatro dias. 
  • Todos os dias depois do almoço ela come um pastel de nata e um café. Há quatro meses que começou uma dieta mas não conseguiu livrar-se deste vício.
  • Quando se senta ao computador para começar a trabalhar ele nota que embora tenha chegado há mais de uma hora ao escritório, só agora está focado no que tem para fazer.
  • Quando ela o olha com “aquela cara” ele passa-se e começa invariavelmente uma discussão. 

E se os hábitos não nos ajudam?

Quando os hábitos não contribuem para aquilo que queremos ser, ter ou fazer […]

Força de vontade: como conservá-la e fortalecê-la?

A força de vontade é um recurso finito e gasta-se. As boas notícias são que temos os recursos para a fortalecer e conservar.

Pessoas com mais força de vontade atingem mais resultados positivos. Investigações recentes têm vindo a demonstrar que a força de vontade não é uma habilidade imutável, mas sim um recurso limitado que se gasta mas que também se pode fortalecer e conservar. Não resisto a partilhar o que tenho vindo a ler sobre o fenómeno do esgotamento da força de vontade e estratégias para a fortalecer e conservar. Se estivermos conscientes de algumas destas estratégias, poderemos ter melhores resultados? Eu acho que sim!

Força de vontade, um recurso finito

Tem vindo a ser observado cientificamente que pessoas com maiores níveis de felicidade, saúde, sucesso e emocionalmente mais estáveis demonstram ter níveis mais elevados de força de vontade. A força de vontade entra tipicamente em ação quando queremos resistir ao desejo de fazer algo que nos afasta dos nossos objetivos ou que não esteja alinhado com os nossos valores.

Porque é que a força de vontade varia ao longo do tempo? Porque é que umas vezes é fácil termos um determinado comportamento e outras nem tanto?

A força de vontade é um […]