Numa experiência desenhada para observar a frequência e força dos desejos das pessoas ao longo do dia, os participantes, alemães jovens até idade adulta, foram solicitados por alertas no telemóvel (7 por dia durante 7 dias) a responder a questões sobre o que eles mais recentemente desejavam.

Qual dos desejos seguintes os participantes ambicionaram menos?
1. Trabalho e utilização de media.
2. Álcool e tabaco.
3. Participação desportiva e contacto social.
4. Comer e beber.

Qual das tentações estiveram os participantes mais inclinados a ceder ou FALHAR em resistir?

1. Comer.
2. Dormir.
3. Utilização dos Media
4. Utilização de tabaco.

Antes de ver as soluções, pense qual a sua aposta?

 

 

 

 

 

 

Qual dos desejos seguintes os participantes ambicionaram menos? Resposta 2, Álcool e tabaco.

Qual das tentações estiveram os participantes mais inclinados a ceder ou FALHAR em resistir? Resposta 3, Utilização dos Media.

Quando pensamos nos nossos desejos, pensamos sobre grandes e importantes necessidades, mas quando nos reportamos aos nossos impulsos momentâneos, eles acabam por ser bastante vulgares, como dormir, prazer, higiene, participação em desportos e contacto social. Por outro lado, os nossos desejos comportamentais tipicamente associados com necessidades reais – como álcool e tabaco – são muito menos comuns para o homem médio.

E estamos muitos mais inclinados a falhar resistir a algo como olhar para o telemóvel do que consumir bebidas alcoólicas. A grande conclusão a retirar deste estudo é que mesmo aqueles de nós que não sofrem de vícios podem ter dificuldade a resistir que nos afastam do caminho que queremos traçar para as nossas vidas.

Este é um dos desafios do jogo “Irrational Game” do Dan Ariely.